Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

PORTUGALd'antigamente

- TRADIÇÕES - CURIOSIDADES - HISTÓRIA - LENDAS - PORTUGALdantigamente ....

PORTUGALd'antigamente

- TRADIÇÕES - CURIOSIDADES - HISTÓRIA - LENDAS - PORTUGALdantigamente ....

O maior burlão da História de Portugal

Artur Virgílio Alves dos Reis

 

O maior burlão da História de Portugal

 

 

 

Alves_dos_Reis.png

 

 

 

 

 Artur Virgílio Alves dos Reis nasceu em Lisboa no ano de 1896

 

 

 

 

Nasceu no seio de uma família modesta.

Ainda começou um curso de Engenharia, mas não passou para além do 1.º ano, devido ao casamento com Maria Luísa Jacobetty de Azevedo, em 1916, facto que o livrou da mobilização para a Primeira Guerra Mundial.

Nesse mesmo ano parte para Angola, onde trabalhará nas Obras Públicas, chegando a ser inspetor.

Foi também diretor dos Caminhos de Ferro naquela colónia.

Este cargo foi obtido a partir da sua primeira burla conhecida, quando forjou um diploma de Engenharia pretensamente obtido em Oxford, com capacidades para gestão industrial e financeira.

A partir de 1919, Alves dos Reis dedicou-se ao comércio de produtos entre a colónia e a metrópole, sempre com golpes e ilegalidades.

Acumulou algum capital, regressando a Lisboa em 1922, onde criou a firma Alves dos Reis, Ldª.

Investiu também numa empresa mineira em Angola, assumindo-se cada vez mais como um grande empresário.

 


No entanto, tanto Portugal como a sua colónia de Angola, sentiam de forma profunda a grave crise económica europeia resultante da Grande Guerra.

Alves dos Reis ressentiu-se imenso dessa situação difícil, embora tenha encontrado maneiras de a superar.

Como sempre alimentara o sonho angolano, acreditava firmemente que seria aquela colónia a sua rampa de lançamento para negócios em maior escala, fosse de que maneira fosse.

Assim, virou-se para a Ambaca, empresa ferroviária estatal de Angola, a qual queria controlar através da posse da maior parte das suas ações.

Estas, conseguiu-as adquirir através de uma nova fraude, um cheque sem cobertura do National City Bank, de Nova Iorque, onde tinha conta.

Alves dos reis pretendia vender as ações a um preço mais alto antes do cheque chegar ao seu destinatário.

O principal comprador que Alves dos Reis tinha em vista era Norton de Matos, comissário-geral de Angola.

Mas o negócio não se concretizou, e Alves dos Reis foi arrastado para os tribunais, com um processo judicial que lhe valeria uma detenção na prisão, entre 5 de julho e 27 de agosto de 1924, data do julgamento.

Foi absolvido da acusação de desvio de fundos, mas culpado da emissão de um cheque sem cobertura.

 

Em 1925, todavia, Alves dos Reis entraria na história de Portugal como o seu maior burlão, a partir de uma gigantesca operação de fraude financeira.

 

 

Nesse ano, Alves dos Reis montara um plano para criação de um banco - o Banco Angola e Metrópole - através da obtenção de fundos de que não dispunha.

Formara uma equipa de especialistas: José dos Santos Bandeira, vigarista e irmão do embaixador português na Holanda; Karel Ysselveere, negociante holandês; Adolf Hennies, alemão, também negociante, profundo conhecedor dos meandros da diplomacia internacional.

Então, Alves dos Reis, em Inglaterra, mandou imprimir 580 000 notas de 500 escudos, fingindo-se de governador do Banco de Portugal, para além de ter falsificado uma chapa de nota, documentos e credenciais várias.

Utilizou ainda as matrizes e serviços da empresa inglesa Waterlow & Sons, Ltd, a qual executava a impressão das referidas notas.

Através de Ysselveere, obteve do administrador da empresa inglesa o reconhecimento da autenticidade de dois contratos, pelos quais o Banco de Portugal autorizava o governo de Angola a emitir 580 000 notas de 500 escudos (290 000 000 de escudos/1 446 514 de euros), ficando Alves dos Reis encarregado de tratar do negócio.

Assim, Ysselveere recebeu da Waterlow, em fevereiro de 1925, a primeira parte das notas.

José Bandeira, através da embaixada portuguesa em Haia, fez chegar a Portugal esse primeira parte da encomenda.

As restantes remessas foram chegando ao País, suscitando então desconfianças nos meios financeiros, perante tantas notas em circulação.

Contudo, as investigações do Banco de Portugal nada clarificaram, desmentindo mesmo a existência de dinheiro falso.

 

Alves dos reis pretendia com toda esta fraude gigantesca fundar o Banco Angola e Metrópole, para investir em Angola e, posteriormente, tentar controlar a maioria das ações do Banco de Portugal, situação que esteve prestes a conseguir.

Entretanto, a burla foi descoberta, estando Alves dos Reis em Angola.

A bordo de um navio alemão, foi preso a 5 de dezembro de 1925, acusado de falsificação de notas. Foi aberto um processo judicial, que se prolongou até 30 de junho 1930, quando foi condenado a 20 anos de prisão.

 

Manteve-se encarcerado na Penitenciária de Lisboa até 1945, sofrendo a pena mais pesada do grupo de falsificadores por ele dirigido, em que se incluía a sua mulher.


A justiça condenou Alves dos Reis, mas o povo absolveu-o desde o início do processo.

Era uma figura conhecida do grande público, um indivíduo elegante e vaidoso, considerado por muitos um génio, um aventureiro romântico, um homem capaz das mais impensáveis artimanhas para alcançar fortuna e notoriedade, até alguém capaz de salvar o País do seu estado depauperado.

A fraude que organizara teve repercussões em todo o País e em muitas figuras públicas e do governo, levando algumas a tribunal e mesmo à prisão, como o governador e o diretor do Banco de Portugal.

O governo foi ridicularizado e contestado pela opinião pública durante o processo, que arrastou inúmeras personalidades para a ignomínia e para as "ruas da amargura".


Mas mesmo depois da maior fraude da história portuguesa, este campeão das ilegalidades voltou a reincidir, quando a 12 de fevereiro de 1952, sete anos depois de sair da prisão, burlou em 60 mil escudos (299.27 euros) um negociante de Lisboa, a quem prometera 6 400 arrobas de café angolano, inexistentes.

 

Em 1955 foi condenado a quatro anos de prisão, pena que não chegou a cumprir, pois morreu em 9 de julho desse ano, na pobreza e no esquecimento geral.

 

 

 

 

 

fonte:www.infopedia.pt

 

 

 

 

 

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

Portugal teve cinco capitais na sua História

Guimarães, Coimbra, Lisboa, Rio de Janeiro e Angra do Heroísmo

 

 

 

Capital.jpg

 

Estas foram as cinco capitais que Portugal já teve ao longo dos seus quase 900 anos de história.

Comecemos pelo início, Guimarães, primeira capital do Condado Portucalense e do país é uma das mais importantes memórias vivas, da afirmação e independência de Portugal.

O papel da cidade desempenhado na formação da nacionalidade portuguesa confere-lhe uma singularidade, muito marcada no contexto turístico nacional, um estatuto simbólico que mantém desde há séculos.

 

 

 

Com D. Afonso Henriques a capital passa a ser Coimbra, a decisão foi estratégica pois esta mudança da capital para os campos do Mondego revelou-se vital para viabilizar a independência do novo país, a todos os níveis: económico, político e social.

Coimbra foi capital até 1255. Depois de Coimbra foi a vez de Lisboa, no entanto durante as invasões francesas a família real estabeleceu-se no Brasil, fazendo com que o Rio de Janeiro fosse a nova capital do Reino de Portugal.

Nesta altura registou-se o que alguns historiadores denominam de “inversão metropolitana”, ou seja, da antiga colónia passou a ser exercida a governação do império ultramarino português.

No século XIX, Angra do Heroísmo constitui-se no centro e alma do movimento liberal em Portugal. Tendo abraçado a causa constitucional, aqui se estabeleceu em 1828 a Junta Provisória, em nome de Maria II de Portugal.

Portanto foi natural que em 1830 fosse nomeada capital do reino.

 

 

 

Fonte: ruralea.com

 

 

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

Arvores lendárias de Portugal

De acordo com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, Portugal tem classificados 470 exemplares individuais como árvores monumentais e 82 conjuntos de árvores. 

E alguns desses verdadeiros colossos são:


O carvalho mais antigo da Península Ibérica, que está plantado na Póvoa do Lanhoso e tem 700 anos


carvalho mais antigo.jpg

 

 

 A mais antiga oliveira, situada em Santa Iria de Azoia, com 2850 anos


 

oliveira mais antiga.jpg

 

 

O Castanheiro com 500 anos que vive em Vila Pouca de Aguiar


 

castanheiro 500 anos.jpg

 

 

 Um  eucalipto da Mata Nacional de Vale de Canas, em Coimbra, com 72 metros e que é a árvore mais alta da Europa


 

eucalipto maior.jpg

 

 

 Um outro eucalipto com 11 metros de largura, localizado no concelho de Sátão


 

euclipto largura enorme.jpg

 

 

 Não nos podemos esquecer que as árvores monumentais são testemunhas vivas de acontecimentos histórico-culturais, constituem uma memória de hábitos, costumes, lendas e tradições, valorizam a paisagem e o património edificado e representam um elemento diferenciador e identitário de todo um povo e de uma região que importa preservar.


SAIBA MAIS AQUI

 

 

post copiado do site: http://pieces-of-moments.webnode.pt/

 

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

O 1.º DE MAIO EM PORTUGAL

Desde o primeiro ano das comemorações do 1.º de Maio, em 1890, até aos dias de hoje, passando pela monarquia, pela 1.ª República e durante a ditadura fascista, o operariado português sempre comemorou activamente o Dia Internacional do Trabalhador, em unidade e luta e com solidariedade internacionalista, reclamando junto do patronato e das autoridades portuguesas o estabelecimento das 8 horas de trabalho diário e a melhoria das suas condições de vida e de trabalho.

 

As lutas do 1.º de Maio de 1962, nas quais se empenham mais de 150 mil trabalhadores agrícolas do Sul, do Ribatejo e do Alentejo, acabam por impor o reconhecimento das 8 horas de trabalho diário, pondo termo ao feudal sol a sol.

 

gageiro1.jpg

 

 

Apenas 6 dias após a manhã da liberdade, o povo português comemorou o mais espantoso 1.ºde Maio, organizado pela Intersindical, criada em 1970.

Era a alegria incontida de um povo que enterrava 48 anos de terror, de miséria, de obscurantismo.

Era a consagração popular do 25 de Abril.

 

Pela primeira vez, dando satisfação a uma reivindicação da Intersindical, o 1.º de Maio era consagrado feriado nacional.

 

 

PODE LER TODA A HISTÓRIA DO 1º DE MAIO AQUI

 

 

 

 

 

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

1º Sinal de trânsito de Portugal

O primeiro Sinal de trânsito de Portugal Data de 1686

 

Informa que o coche que vem de cima perde prioridade em relação ao coche que vem de baixo.
 
Desde logo, porque é mais fácil fazer descer um coche com cavalos a puxar, de marcha a trás, do que pôr um cavalo a fazer força para trás a subir.
 
Este sinal foi colocado, pois os cocheiros nunca queriam ceder prioridade e chegou a haver lutas de feridos e mortos.
 
Assim, o Rei D. Pedro II mandou colocar aquela placa, que veio diminuir os conflitos.
 

Img000.jpg

 

 

Ainda existe, e situa-se em Alfama, na Rua do Salvador, mesmo ao lado do nº 26.
 
 
 
fonte blog amar alfama
 
 
www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

Anjo de Portugal

Anjo de Portugal, o "Santo Anjo da Guarda de Portugal" ou o "Anjo Custódio de Portugal", também conhecido por Anjo da Paz é uma das designações atribuídas a São Miguel Arcanjo que representa "Portugal"

 

 

 

Terá surgido pela primeira vez na Batalha de Ourique, a mesma deu uma tal vitória às forças de D. Afonso Henriques sobre os invasores muçulmanos que deu a chance de autoproclamar-se Rei de Portugal.

 

Nas suas Memórias, a Irmã Lúcia contou ainda que, entre Abril e outubro de 1916, nas Aparições de Fátima, teria já aparecido um anjo aos três pastorinhos, por três vezes, duas na Loca do Cabeço e outra junto ao poço do quintal da casa dela, em Fátima (Ourém), convidando-os à oração e penitência, e afirmando ser o "Anjo de Portugal"

 

Este anjo teria ensinado aos pastorinhos duas orações, conhecidas por Orações do Anjo, que entraram na piedade popular e são utilizadas sobretudo na adoração eucarística.

 

anjo-de-portugal.jpg

 

A pedido do rei D. Manuel I de Portugal, o Papa Júlio II instituiu em 1504 a festa do «Anjo Custódio do Reino» cujo culto já seria antigo em Portugal.

O pedido terá sido feito ao papa Leão X e este autorizou a sua realização no terceiro Domingo de Julho.

A sua devoção quase desapareceu depois do séc. XVII, mas seria restaurada mais tarde, em 1952, quando mandada inserir no Calendário Litúrgico português por Pio XII, para comemorar o dia de Portugal no 10 de Junho.

 

A devoção ao Anjo da Guarda é muito antiga em Portugal.

Tomou, porém, incremento especial com as Aparições do Anjo, em Fátima, aos Pastorinhos.

 

 

 

Mensageiros de Deus, em momentos decisivos da História da Salvação, os Anjos estão encarregados da guarda dos homens

 

A fé cristã crê também possuir cada nação em particular um Anjo encarregado de velar por ela.

 

fonte wikipédia

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

Primeira universidade em Portugal

Em Portugal, a primeira universidade surgiu com o nome de Estudo Geral Português e foi reconhecida,pela bula papal "De Statu regni Portugaliae".

 

Ali se estudavam Artes, Direito Canónico, Direito Civil e Medicina.

 

universidade de coimbra.jpg

 

A primeira universidade surgiu em 1290 e deve-se ao rei poeta D. Dinis.

 

Com o cogonome "O Lavrador" pelo grande impulso que deu à agricultura e ampliação do pinhal de Leiria ou o Rei-Poeta devido à sua obra literária.

 

A Universidade começou por funcionar em Lisboa; em 1308 passou para Coimbra, tendo regressado a Lisboa em 1338.

 

Em 1354 voltou de novo para Coimbra; em 1377 regressou a Lisboa e, em 1537, no reinado de D. João III fixou-se definitivamente em Coimbra.

 

 

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

O Nascimento dos comboios em Portugal

1844 - ATÉ HOJE

 

1844

  • Fontes Pereira de Mello

    Os estudos em primeiro lugar

    É fundada a Companhia das Obras Públicas de Portugal, que começa a fazer estudos para a construção do Caminho de Ferro. Já viste? Muito estudiosos, estes senhores. E o que eles conseguiram alcançar!

    Sabias que...

    Há 200 anos, as locomotivas funcionavam a carvão e quem enchia a fornalha era o fogueiro. O maquinista  guiava a locomotiva e tinha de usar óculos grossos para proteger os olhos das fagulhas que saltavam da chaminé.

  • 1851
    Lançamento da primeira pedra

    Mãos à obra!

    Dá-se início à construção da rede ferroviária nacional. Pouca terra, pouca terra, muito trabalho, muito trabalho.

    Sabias que...

    Chama-se bitola à distância entre carris. Essa distância foi calculada de acordo com a largura das carruagens dos cavalos, que eram o principal meio de transporte na altura em que foram inaugurados os caminhos de ferro

  • 1856
    A primeira viagem

    A primeira viagem

    Foi entre Lisboa e o Carregado que circulou o primeiro comboio português. Na inauguração estiveram o rei D. Pedro V e a sua família, o cardeal patriarca, ministros e monarcas estrangeiros. E como foi a tua primeira viagem de comboio? Ainda não andaste? Desafia os teus pais e experimenta.

    Sabias que...

    O trajeto de 36,5 km entre Lisboa e o Carregado fez-se em 40 minutos.

  • 1859
    José de Salamanca

    O comboio não pára

    Depois de inaugurado o primeiro troço, foram sendo construídas outras linhas. A construção e exploração das linhas do Norte e Leste passou para o espanhol José de Salamanca, que fundou a Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses.

    Sabias que...

    “Portugal” e “Coimbra” são os nomes das duas locomotivas que inauguraram a primeira linha-férrea portuguesa. 

  • 1863
    Elvas

    Olé!

    O comboio chega à fronteira espanhola, pelo lado de Elvas, no Alentejo. Assim, os meninos daquela época já podiam ir comprar caramelos a Badajoz, os gulosos!

    Sabias que...

    Inicialmente as locomotivas não tinham apito, por isso os maquinistas usavam uma corneta. O primeiro apito foi construído em Inglaterra por um fabricante de instrumentos de música.

  • 1865
    Estação de Santa Apolónia

    Uma grande estação

    É inaugurada a estação principal de Caminho de Ferro de Leste e Norte – Santa Apolónia, em Lisboa, na altura referida como Estação de Cais dos Soldados. Hoje em dia, além de ser muito conhecida é cheia de movimento. Por que não fazeres aqui uma visita?

    Sabias que...

    Na altura da inauguração, em 1856, os preços dos bilhetes de ida e volta eram os seguintes: 1ª classe, 700 réis = 0,35€; 2ª classe, 560 réis = 0,23€; 3ª classe, 240 réis = 0,12€. 

  • 1877
    Ponte ferroviária D. Maria e sua construção

    A rainha das pontes

    A primeira ponte ferroviária sobre o Douro ganhou o nome de D. Maria, em homenagem à rainha Maria Pia, casada com o rei da altura, D. Luís I. Nesta ponte estiveram a trabalhar 150 operários e foram utilizados 1.600.000 quilos de ferro.

    Sabias que...

    O bilhete em cartão usado para viajar de comboio foi inventado por Thomas Edmondson, chefe de estação em Lancaster, Inglaterra.

  • 1882
    Linha da Beira Alta

    Uma linha sempre em alta!

    A inauguração da linha da Beira Alta foi um dos pontos altos da história do caminho de ferro, continuando a ser, hoje em dia, a nossa ligação internacional. Os comboios que iam para fora de Portugal têm de passar por esta linha.

    Sabias que...

    Através do silvo do apito de algumas locomotivas conseguia-se identificar a nacionalidade de alguns maquinistas: os portugueses conseguiam um silvo prolongado com várias entoações; os ingleses eram idênticos aos rebocadores marítimos; os franceses eram muito agudos…

  • 1887
    Comboio Sud Expresso

    Parles-tu le français?

    Não te preocupes. Não vamos começar a falar francês. Mas, neste ano, dava jeito saber umas palavrinhas. É que se deu início à exploração do Sud-Express, que faz a ligação Lisboa–Madrid–Paris e Calais.

  • 1888
    Gazeta dos Caminhos-de-Ferro

    A Revista dos comboios

    Hoje há jornais de notícias, de futebol, de economia… Mas no final do século XIX, os comboios eram tão importantes que até tinham uma Revista só para eles: a Gazeta dos Caminhos de Ferro.

  • 1889
    Estação de Cascais

    Vai uma voltinha até Cascais?

    É inaugurada uma das linhas mais bonitas do nosso país. Corre ao longo do rio Tejo e do mar. Por que não aproveitas um fim de semana para ires até Cascais de comboio?

  • 1902
    Escola Maria Amélia

    O comboio na escola?

    A escola Maria Amélia, na estação de Casa Branca, no Alentejo, foi aberta para os filhos dos ferroviários poderem estudar sem qualquer dificuldade. Também existiam colónias de férias e sanatórios.

    • 1916
      Estação de S. Bento

      E depois de Santa Apolónia...

      ... veio S. Bento. O Porto ganha também uma grande estação, que merece ser visitada.

      Sabias que...

      No atual local onde hoje se encontra a estação, existiu o Convento das Monjas de S. Bento, também conhecido por Encarnação ou Avé Maria. 

    • 1922
      Algarve

      Viajar com mala… e balde da praia

      Conheces Lagos, no Algarve? Em 1922, o comboio chega a esta cidade, que é hoje tão procurada para as férias de verão. E porque as férias são para descansar, por que não dar também férias ao carro e ir até ao Algarve de comboio?

    • 1924
      Locomotiva a Diesel

      Vêm aí os alemães!!!

      Ou melhor, as alemãs, já que se tratam de locomotivas, construídas na Alemanha, e que chegam a Portugal como uma compensação pela participação portuguesa na I Guerra Mundial.

      Sabias que...

      A primeira locomotiva diesel “batizada” em Portugal ficou com o nome Lyda. Veio da Alemanha em peças e foi montada nas Oficinas da Companhia Nacional de Caminhos de Ferro, em Mirandela.

    • 1926
      Eletrificação

      Comboios elétricos

      Se gostas de brincar com comboios, os elétricos são os mais giros, porque andam sozinhos. A única coisa que tens de fazer é montar as linhas. Depois, é só brincares. Em 1926, eletrificar linhas não era nenhuma brincadeira.

      A linha de Cascais foi a primeira a ter tração elétrica, ou seja, era a energia elétrica que alimentava a ferrovia e as locomotivas, o que representou, para a época, uma grande inovação.

      Sabias que...

      Na primeira metade do século XX, a tuberculose foi uma doença grave que provocou grande número de mortes. A CP construiu sanatórios para os seus funcionários e fez uma campanha de sensibilização, colocando no interior das carruagens o seguinte aviso “Para evitar a propagação da tuberculose é proibido cuspir nas carruagens”.

    • 1927
      Caminhos de ferro

      Arrenda-se caminhos de ferro

      Pois é, não são só as casas que podem ser arrendadas. Neste ano, os caminhos de ferro do Estado também são arrendados.

    • 1932
      Estação do Terreiro do Paço, Barcos e Estação do Rossio

      É um comboio ou é um barco?

      A estação do Sul e Sueste, no Terreiro do Paço, em Lisboa, é inaugurada e, além de comboios, a CP também oferece um serviço de barcos entre Lisboa e o Barreiro, onde se apanhava o comboio para o Sul.

      Mistééééééééériooooooo………

      E se tu não soubesses qual era o teu destino? Apanhavas o comboio e… lá ias tu para um sítio desconhecido. Começou assim, em 1932, o primeiro comboio-mistério, que partia do Rossio, em Lisboa. Estas viagens misteriosas realizavam-se ao fim de semana e os passageiros apenas sabiam a hora de partida do comboio. Que grande aventura!

      Sabias que...

      Na Linha do Oeste, as locomotivas Brissoneau eram conhecidas por “peixeiras” porque o seu apito era idêntico aos das camionetas que vendiam peixe.

    • 1939
      Carvão

      Os comboios mudam de “dieta alimentar”

      Nesta altura, os comboios andavam graças ao vapor. Só que devido a dificuldades na aquisição do carvão, tiveram de mudar para a queima de óleos. Felizmente adaptaram-se ao novo “menu”.

      Sabias que...

      Durante a II Guerra Mundial, engenheiros portugueses da Companhia do Vale do Vouga construíram quatro automotoras nacionais com motor a gasolina, que faziam o percurso Viseu-Aveiro em duas horas.

    • 1940
      Flecha de Prata

      O Super-Flecha!

      Na história do Super-Homem, quando ele é avistado no céu, costuma-se perguntar: “É um pássaro? É uma avião? Não, é o Super-Homem!” Pois, em 1940, a sensação ao avistar o comboio Flecha de Prata era muito parecida. Na verdade, este nome foi-lhe atribuído por causa do aspeto que lhe dava o aço inoxidável, o material em que era construído.

    • 1948
      Automotoras na estação da Funcheira

      Comboios acabadinhos de chegar…

      … e prontos a partir. São as primeiras automotoras NOHAB e as locomotivas diesel-elétricas ALCO.

      • 1953
        O comboio Foguete

        Soltem o foguete!

        Depois de um Flecha de Prata, só mesmo um “Foguete” para ajudar à festa. A viagem inaugural deste comboio deu-se entre Lisboa e o Porto e, como o nome indica, o tempo de viagem foi muito mais curto.

        O comboio deu origem a poemas como este:

        “Deu entrada em Portugal,
        ferroviário novidade
        de moderno material
        de excelente qualidade.

        Tem feitio original,
        perfeita estabilidade,
        segurança especial
        e grande comodidade.

        Por entre a bela paisagem,
        em quatro horas de viagem,
        desde o porto até Lisboa,
        temos a prova agradável
        de que o “Foguete” admirável
        é um comboio que voa!”

        Sabias que...

        O comboio “Foguete” era formado por 2 automotoras FIAT de 505 cv, uma em cada extremidade, podendo atingir 120km/h. A lotação completa era de 174 lugares e tinha ar condicionado e serviço de refeições.

      • 1954
        Túnel do Rossio

        Mais ideias luminosas

         

        As obras de eletrificação começam no túnel do Rossio, que encerra entre março e julho, passando o serviço de passageiros para Santa Apolónia. É o começo de uma nova era, tal como foi a passagem das candeias a óleo para a luz elétrica em casa.

      • 1957
        Comboio na estação de Sintra

        Uma história muito “elétrica”

        Quando se diz que alguém é elétrico, isso significa que tem muita energia. Pois, nunca faltou energia à CP para inovar, como prova a inauguração da eletrificação da linha de Sintra e da linha do Norte.

        Sabias que...

        A inauguração da eletrificação fez-se entre Lisboa e o Carregado com a presença do Presidente da República, Cardeal Patriarca, Ministros, Presidente da CP e outros convidados. Além da viagem, fez-se um desfile de material circulante onde se pode ver: o Comboio real; várias locomotivas a vapor entre elas a “Ratinha”, locomotivas diesel elétricas; o comboio “Foguete” e automotoras…

      • 1963
        Interior de uma Nohab

        Só 1ª e 2ª classe?!

        Será que reduziram os anos da escola primária?! Claro que não! Tal como nos aviões existe a 1ª classe, a classe executiva e a turística, também nos caminhos de ferro portugueses existiam 3 classes, que passam a duas neste ano.

      • 1970
        Maquinistas-marinheiros

        Maquinistas-marinheiros

        Neste ano, entram ao serviço os barcos “Alentejo” e “Lagos” para o transporte de passageiros entre Lisboa e o Barreiro, na margem sul do rio Tejo. Além de maquinistas e fogueiros, a CP também tinha marinheiros, que conduziam os barcos do Terreiro do Paço até ao Barreiro.

        • 1975
          Cravo

          Uma revolução na CP

          Já ouviste falar do 25 de abril, a “revolução dos cravos”? Pois também a CP mudou com esta revolução e passou a ser uma empresa do Estado. Foi o que se chama uma “nacionalização”.

        • 1977
          Passe

          Olha o passarinho…

          Sorri, tira uma foto e tens a tua cara no Passe Social. A CP adere a este sistema na área da Grande Lisboa, para as linhas suburbanas e via fluvial, ou seja, no rio Tejo.

        • 1978
          Assistentes de Bordo

          Sempre a andar

          Com o lançamento de duas novas circulações rápidas na linha do Norte – “Cidade Invicta e “Sete Colinas” – a viagem Lisboa-Porto realiza-se em apenas 3 horas e meia e até tem serviço de assistentes de bordo.

        • 1986
          Convel

          Depressa… mas com cuidado!

          O comboio leva-te até ao destino de forma muito rápida. Mas não se pode ultrapassar os limites de velocidade. Como não havia – e não há – radares nas linhas férreas, o controlo começou a ser feito com um aparelho chamado Convel, que obriga os comboios a parar se excederem os limites.

        • 1987
          Carruagem Corail

          Para o Porto de Alfa

          O início deste serviço acelerou muito a ligação entre Lisboa e o Porto. Consulta o nosso horário e desafia os teus pais a visitarem contigo a capital do norte.

        • 1988
          Intercidades

          E se quiseres visitar mais algumas cidades…

          Apanha o Intercidades! Com este serviço, que começou em 1988, podes ir até às principais cidades portuguesas – Coimbra, Porto, Guimarães, Guarda, Covilhã, Évora, Beja e Faro – e assim aproveitares todo o tempo para passear.

        • 1991
          Ponte de S. João

          Uma ponte que é uma festa!

          Conheces as festas dos santos populares? Santo António, São Pedro e São João, sendo este último festejado no Porto, a 24 de junho. Neste dia é inaugurada a ponte de São João, uma nova ponte sobre o Douro, com 1140 metros de comprimento, e exclusivamente destinada ao tráfego ferroviário.

          Sabias que...

          Preocupada com as questões ambientais, a CP começou a utilizar em 1992 a energia solar para as passagens de nível automáticas. As primeiras foram instaladas no Alentejo.

        • 1998
          Estação de Lisboa-Oriente

          O comboio passa pela Expo

          Em 1998 teve lugar em Lisboa uma grande exposição mundial, com a participação de muitos países, que aqui mostraram um pouco da sua cultura. A Expo que tu hoje conheces é resultado dessa exposição. Ao mesmo tempo, é inaugurada a Gare do Oriente, de autoria do famoso arquiteto Santiago Calatrava. Uma obra que recebeu o prémio Brunel – Madrid 98.

          Sabias que...

          Em 1992, a CP lançou o “Comboio Azul”, uma ligação direta do Porto ao Algarve, durante o fim de semana. Inicialmente com origem em Vila Real de Santo António, a viagem de Faro ao Porto demorava mais de 9 horas, com saída do Algarve na sexta-feira à tarde e regresso ao início da manhã de segunda-feira, circulando pela linha do Alentejo e pela linha de Vendas Novas - Setil.

        • 1999
          Comboio Urbano de Lisboa da linha da Azambuja e de comboio na na Ponte 25 de Abril

          Um prédio sobre carris

          Entram ao serviço as carruagens de dois pisos, no suburbano da Azambuja. Isto significa que podes escolher viajar no rés do chão ou no primeiro andar, sendo que, lá em cima, a vista é bem mais bonita.

          De comboio na Ponte 25 de abril

          A ponte sobre o Tejo ou ponte 25 de abril foi inaugurada em 1966 e já tinha previsto o tráfego ferroviário, com a construção dos túneis de acesso. Mas só 33 anos depois a travessia ferroviária é realmente concretizada. Se não tiveres vertigens, olha para baixo e vê o rio a passar.

          Alfa Pendular

          O comboio mais rápido de Portugal circula desde 30 de junho de 1999, com viagens entre as cidades de Lisboa e Porto e mais tarde até Faro, percorrendo assim o país de norte a sul.Chega a atingir os 220 km/h e tem tecnologia pendular, que permite fazer curvas a velocidades mais elevadas que outros comboios. Tem também imensos serviços que fazem com que a viagem seja ainda mais divertida, como refeições ao lugar, Wi-Fi gratuito para estares online com os teus amigos, canais de áudio e vídeo para veres TV ou ouvires um som.Tem também fraldário, WC, acessibilidade e lugares adaptados para os clientes com mobilidade reduzida. 

           

          Sabias que...

          A Linha de Sintra foi a primeira a ter comboios conduzidos por uma mulher

        • 2000
          Nova era de aquisição de bilhetes

          Nova era de aquisição de bilhetes

          Compra de bilhetes através do multibanco. Sabias que a CP foi a primeira empresa que disponibilizou a venda de bilhetes através das máquinas multibanco em todo o país? Pois é! Foi o início de uma nova era de aquisição de bilhetes.

        • 2003
          Olha o robot ! Não é um robot ... é um quiosque de venda automática

          Olha o robot ! Não é um robot ... é um quiosque de venda automática

          Uma empresa de mente aberta, sempre receptiva às novas tecnologias. Nova forma de vender bilhetes em Portugal, através da colocação de quiosques de venda automática, em algumas estações. Tornando possível a compra de bilhetes de comboio AP, IC, InterRegionais e Regionais, a qualquer hora, sem ser necessário ir à bilheteira.

        • 2005
          Nasce a bilheteira online

          Nasce a bilheteira online

          Tudo se agiliza e facilita. Toda a consulta e informação à distância de um ecran do computador. Outra forma de comprares os teus bilhetes Alfa Pendular, Intercidades e, desde 2015 o complemento de viagem nos comboios Regionais e InterRegionais. Facilidade na consulta de horários, promoções, descontos e novos produtos CP. O mais giro, é que o bilhete pode ser impresso em casa ou ir por SMS para o telemóvel dos teus pais.

        • 2006
          Logótipo da comemoração dos 150 anos

          Parabéns a você…

          Nesta data querida, muitas felicidades e mais 150 anos de vida! Século e meio são muitos anos, dias, horas, minutos e segundos a transportar passageiros por todo o país. E tu podes fazer parte desta história, viajando de comboio e partilhando essa experiência com a tua família e os teus amigos.

        • 2008
          Túnel do Rossio

          Velhinha, a CP?! Nunca!

          Se pensas que lá por termos mais de 150 anos, não estamos aqui para as curvas, enganas-te. Com a reabertura do Túnel do Rossio, após obras de modernização, foi dado mais um passo para que todas as pessoas que utilizam este serviço se sintam mais cómodas e seguras a viajar com a CP.

        • 2009
          CP com novo logo para o mundo

          CP com novo logo para o mundo

          A empresa Comboios de Portugal é uma empresa portuguesa de transporte ferroviário. Em 2009, sucede à empresa Caminhos de Ferro Portugueses.

        • 2010
          Simulador online

          Simulador online

          És amigo do ambiente e preocupaste por questões ambientais? Certamente gostarás deste simulador online, que a CP disponibiliza para pesquisa e testares as vantagens ambientais entre viagem de comboio e automóvel.

        • 2011
          Site CP Kids

          Site CP Kids

          Nasce uma estrela !!!

          A CP brindou os mais pequenos com a publicação do site CP Kids, em dezembro de 2011. Apresentou o Kimboy e as imensas sugestões de viagem que ele propõe, atividades, rotas, espetáculos e passatempos.

        • 2012
          Kimboy do ecrã para junto dos amigos

          Kimboy do ecrã para junto dos amigos

          A mascote Kimboy convive pela primeira vez com os seus amigos, no Festival Panda 2012, no estádio do Restelo em Lisboa.

        • 2013
          Há tecnologia no ar…

          Há tecnologia no ar…

          Sem fios, só através de frequência, é o máximo para te ligares com o mundo. Muito útil para consultares informação e poderes jogar o teu jogo preferido durante a viagem.

          Desde julho de 2013 ficou disponível Wi-Fi gratuito, no serviço Alfa Pendular e em julho de 2015 ficou concluída a instalação do serviço Wi-Fi nas 56 carruagens corail que efetuam o serviço Intercidades na Linha do Norte - entre Lisboa/Porto/Braga/Guimarães.

           

        • 2014
          Site CP mais dinâmico e colorido

          Site CP mais dinâmico e colorido

          “On air” site CP, a 11 novembro 2014.  Chega-nos com grande dinâmica e colorido. Com muitas e ótimas propostas de viagem e, muitos descontos para Clientes CP.

           

          Comboio Celta, diretamente do centro do Porto para Vigo. 

          Uma forma de aproximar povos. Ligação direta para terra de nuestros hermanos

           

           

          (fonte cp kids)

     

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

Primeiro fabricante de bicicletas em Portugal

Vilar1.jpg

 A VILAR ,Vilarinho e Moura, sediada  na rua do bonjardim, 826-828, no Porto ,  foi o 1º fabricante nacional de bicicletas.

 

Sob a sigla FNB (Fábrica nacional de bicicletas),Começou a produzir bicicletas e seus acessórios em 1922. Tendo na época  fabricado bicicletas completas  e acessórios de substituição, nomeadamente ,cubos, aros e raios.

Nos anos 30 já  com cerca de dez anos de experiência e muito implementada no mercado, começou a fornecer acessórios e até quadros a outras marcas que iam surgindo contribuindo para o rápido sucesso e crescimento da marca.


  A qualidade e os pormenores sempre distinguiram a marca.

 

A  década de 1930 é decisiva para o novo passo a dar.
  Consegue obter licensas de produção da chamada nova industria, tendo já na mira a construção de motas.
Nesta altura ainda não havia fabrico de motas ou motores em Portugal o que levou a marca a prospeccionar o mercado estrangeiro com o fim de obter  motores fiaveis e quadros para equipar as suas motas, o intuito éra construir motas fiaveis a preços acessíveis, construindo riqueza para o país e criando emprego.
 
O fabrico de motores terá sido equacionado, mas posto imediatamente de parte, pois poderia atrasar muitos anos o lançamento das tão aguardadas motas  inviabilizando o projecto e não havia tempo a perder.
 O mercado das motas encontrava-se em forte expansão, e Portugal estava a ser "invadido" por uma importação muito forte de marcas com muita qualidade, como a BMW, DKW, NORTON , BSA, AJS, COVENTRY EAGLE,  MATCHLESS,  ARIEL entre outras.

 A VILAR tinha que ser muito rápida a lançar as suas motas, e é então que Ílidio Vilarinho parte para Inglaterra na busca de um motor fiável e de fácil adaptação aos seus quadros, ou eventualmente quadros completos, tendo conhecido diversas marcas ingesas equipadas com o famoso motor VILLIERS .
 
Terá sido a EXCELSIOR a  utilitária que melhor se identificava com o seu projecto de utilitária para Portugal.
Terá   Ílidio Vilarinho  trazido um destes exemplares 125cc, para copiar?  não se sabe , o que se sabe é que a primeira mota VILAR  é muito parecida com esta inglesa.
 
  Só no ano de 1949 é que a VILAR terá conseguido fabricar  a famosa VILAR 125cc do 1º modelo.
Segundo se consta só terão sido fabricadas 4 motas do 1º modelo , com motor villiers de dois escapes com 122cc de cilindrada, com a suspensão da frente em aço estampado com uma unica mola central ,e traseira rígida.

  Há duas sobreviventes catalogadas  e uma terceira que  ainda não tive oportunidade de  catalogar , a quarta  terá ardido, quando a fábrica ardeu nos anos 80 no final da sua vida, seria a mota dos testes.

  Com o lançamento das motas e ciclomotores a fábrica  começa a entitular-se FNBM (fábrica nacional de bicicletas e motocicletas) as motorizadas começam a sair da  fabrica  de  Lugar da Ermida- S. Mamede de infesta .
A VILAR redesenha o seu logotipo baseado no simbolo villiers, para colocar nas motas de alta cilindrada.
 
Este gesto dá credibilidade á marca no fabrico de motas pois o motor villiers era já sobejamente conhecido dos portugueses pelos seu motores de rega.
 
Nesta altura multiplicam-se os contactos entre a VILAR e a direcção - geral de transportes terrestres, no sentido de conseguir homologação para esta cilindrada.
Esta homologação foi muito difícil e caracterizada por avanços e recuos por parte da direcção - geral de transportes terrestres, hoje dava , amanhã tirava!.

 

 

 

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

A TELEVISÃO EM PORTUGAL

112.jpg

 No ano de 1957 a 7 de Março começam as emissões regulares de televisão em Portugal.

 

Tendo sido recebida com alegria por uns e com desconfiança por outros.

• Nessa altura, só podia ser captada na região de Lisboa. Nos anos seguintes, a Radiotelevisão Portuguesa (RTP) chegaria ao Porto, à Madeira e aos Açores, e depois cobriria todo o território nacional, com delegações nas diversas regiões.

 

As emissões do primeiro Telejornal começaram a 19 de Outubro de 1959. Na década de 70 nascia o segundo canal Português de televisão chamava- se RTP 2.

• Em Portugal, as emissões a cores começaram a ser regulares em 1980, sendo o Festival RTP da Canção de 1980, o primeiro programa emitido a cores em Portugal.

www.123pecas-auto.pt 3002 PopAds.net - The Best Popunder Adnetwork

Mais sobre mim

foto do autor

contador visitas

(ajude o nosso blogue)

[ Tradutor ]

Traduzir para Chinês Traduzir para Espanhol Traduzir para Italiano Traduzir para Françês Traduzir para Inglês Traduzir para Alemão Traduzir para Japonês Traduzir para Russo

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Comentários recentes

Calendário

Novembro 2017

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

popAds

adsense